A volta dos que realmente foram...

Já tem um tempo que eu venho planejado colocar este blog de volta no ar, mas a rotina insana, procrastinação e total falta de criatividade, tem sido um grande empecilho pra mim. Eu vou ser bem sincera em dizer que não crio um texto decente desde meados de 2015, e o intuito aqui não vai ser ter um grande público, afinal todos sabemos que os blogs morreram há um bom tempo e corajosos são aqueles que, de alguma forma, ainda conseguem manter uma rotina de forma coerente sem se entregar na narrativa de influencer ou creator como tem sido visto a torto e a direito por aí nas redes sociais ao lado.

A verdade é que apenas uma motivação tem me feito reconsiderar o retorno a plataforma de blogs, e esta se chama: o ódio aos algoritmos. Vamos todos concordar que tem se tornado cada vez mais insustentável manter um perfil naquela rede que costumava ser de fotos. A ideia inicial era realmente brilhante, mas quando os algoritmos entraram no jogo e as pessoas se tornaram obcecadas em virar "blogueira" como fonte única de renda, a coisa começou a fugir do controle e tudo o que vemos hoje em dia é a mesma forma chata de como conseguir chamar a atenção dos benditos. 

Eu não odeio todos os algoritmos de uma forma geral, vamos deixar isso aqui bem claro. Mas chegamos em um momento em que um usuário de uma determinada rede precisa se adaptar a ela pra conseguir atingir o seu público que foi construído com muito esforço e empenho (e que é um público que está ali!!!!!), ao invés da plataforma se adaptar a necessidade do usuário de acordo com aquilo que, inicialmente, cativou o uso dela por ser um diferencial entre todas as redes já existentes. 

E é nesse momento que aquele sentimento de nostalgia me acomete. Porque na época em que tudo isso aqui era mato e as blogueiras realmente tinham um blog, e a função dele era compartilhar o seu dia a dia, dicas, sentimentos, trocar experiências, e não apenas um perfil em uma rede social avulsa pra mostrar recebidos e fazer parceria com marcas; a vida era mais feliz. E não existia um algoritmo que nos ajudasse a engajar, o trabalho era bruto e conquistado com muito networking e interesse na comunidade.

E aonde eu quero chegar com tudo isso?

Bem, essa é uma boa pergunta, porque honestamente nem eu mesma sei responder. Eu só estou profundamente revoltada, e a revolta é um sentimento que me motiva. Errado? Um pouco. 

Eu não estou de volta porque quero atingir grandes massas, não. Na verdade o meu intuito com o retorno do blog, neste momento, é me sentir livre pra conseguir compartilhar aquilo que realmente me interessa compartilhar, sem ter que mendigar pra que alguém me veja, que curta, compartilhe; fazer videos ridículos que vão ficar passando por ai e importunando o feed das pessoas, porque é o que tá na moda. Eu não quero estar na moda, e quem já me acompanhou antes sabe o que isso significa.

O Universo Alternativo nasceu em 2009, com um layout porcamente customizado, 0 experiência, e um nome que era maior que o número de pi (desconstruindoouniverso.blogspot.com, terrível, não?). E o que inicialmente era um diário sobre as minhas revoltas, aos poucos foi ganhando vida, colaboradores, uma carinha bonita, um servidor com wordpress, se tornou uma plataforma de entretenimento que, muito infelizmente, morreu em 2012, renasceu em 2013, morreu em 2013, renasceu em 2015, morreu em 2015; e com isso conseguiu o marco de mais ressurreições que Jesus Cristo (tá passadah?).

Eu não vou prometer coerência e muito menos frequência (e isso eu digo pra minha própria mente auto sabotadora), porque a ideia agora é voltar a ser um diário virtual onde eu posso compartilhar os meus momentos, surtos, fotos. De uma forma mais free style, sem depender de absolutamente nada, entrega, visualização. Apenas o bom, puro, genuíno e original: blog.

Eu sou da velha guarda, e pretendo continuar dessa forma. O título de blogueira aposentada não me foi atribuído (por mim mesma) atoa. Ele foi conquistado, depois de muitos anos, muita vivência e muita frustração também. E agora não apenas uma blogueira aposentada, mas também com blog (chocadah!).

Mas vamos ao que realmente interessa:

O post tá ficando grande para uma porra, e eu quero voltar aqui em um outro momento pra realmente trazer o meu diarinho de volta. Eu tenho muito o que contar (pra mim mesma) sobre as minhas altas aventuras (você vai ficar intrigado com a confusão que essa galerinha vai aprontar que vai deixar a sua tela quente!!), não apenas sobre o que rolou em 6 anos longe da blogsfera (como eu odeio esse nome), mas o meu dia a dia maluco e como tem sido complicado ser uma adulta responsável. 

A titia tá enferrujada, mas tá com boa vontade.

Spoiler: as blogueiras mentem.

0 comentários